Como não poderia deixar de ser o Festival da Cidade conta com uma programação bem especial e entre as dezenas de ações que ocorrerão entre 23 de março e 1° de abril estão oficinas gratuitas, exposições e espetáculos sob o comando da Fundação Gregório de Mattos (FGM).

Abrindo a semana do Festival da Cidade 2018, no Teatro Gregório de Mattos (TGM) é possível prestigiar Gregórios, exposição interativa, ambientada num circuito dinâmico e criativo, com diversas texturas, composta pela vasta obra creditada a Gregório de Mattos. A mostra propõe criar uma atmosfera seiscentista da Salvador do poeta, por via da iluminação, dos sons, de imagens e objetos que certamente vão transportar os visitantes àqueles tempos em que a capital da Bahia já se fazia majestosa e a mais importante cidade das Américas. Como parte integrante da exposição, foi destinado um espaço retratando a trajetória da Fundação Gregório de Mattos, criada em 1986 e que, ao longo de três décadas, foi uma instituição importante para alavancar ações e projetos culturais em Salvador. GRATUITO. De quarta a domingo, das 14h às 19h.

A programação especial apresenta ainda, nos dias 23, 24 e 25/03às 19h, a Mostra Gregório em Cena - O Boca do Inferno. Com texto de Adailton Medeiros, o espetáculo é encenado pelos atores cariocas Licurgo, Gilson de Barros, Andréa Mattar. A peça retrata o período entre 1683 e 1694, desde o retorno do poeta à Bahia – aos 47 anos, depois de 33 anos vividos em Portugal – até sua deportação para Angola. Retrata ainda o conflito de um homem em decadência como fidalgo e ascensão como poeta, desafiando a tudo e a todos, com a língua ferina e as sátiras poéticas certeiras, que lhe renderam o apelido de “Boca do Inferno”. R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia).

Na quinta-feira (29)às 19h, o TGM traz de volta o Espetáculo Boca a Boca - Um Solo Para Gregório, uma narrativa radicalmente contemporânea, com recital de poesias do Boca de Brasa em formato de show de rock, onde o ator Ricardo Bitencourt interpreta poemas e fala sobre a vida e a obra de Gregório de Mattos e, na sequência, bate um papo com o público como convidado das Quintas Gregorianas. GRATUITO. Depois, Boca a Boca -  Um Solo Para Gregório permanece em cartaz nos dias 31/03 e 01/04 com preços populares R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia).

Exposição Permanente da Casa do Benin apresenta um acervo com objetos e obras de arte da região do Golfo do Benin, de onde desembarcaram a maioria dos negros que povoaram o Recôncavo, que pertencem, em sua maioria, à coleção do antropólogo e fotógrafo francês Pierre Verger.  Além disso, é possível apreciar a exposição AFÉTO, mostra fotográfica itinerante que vem percorrendo o país e chama atenção para as relações de afeto constituídas dentro dos terreiros de Candomblé, a partir do olhar do fotógrafo Roger Cipó, com curadoria de Marco Antonio Teobaldo. A Casa funciona de segunda asexta-feira, das 09h às 17h. GRATUITO.

Já no Espaço Cultural da Barroquinha, A FGM traz de volta a exposição Orixás da Bahia, criada por D. Elyette Magalhães (in memorian), que no ato de criação do Museu da  Cidade, em 05 de julho de 1973, dedicou uma sala inteira aos orixás, esculpidos pelo artista plástico Alecy Azevedo (in memorian) e acompanhado pela assessoria de Mãe Meninha do Gantois (in memorian). A mostra é composta por estátuas em tamanho natural de divindades africanas, esculpidas em papel marchê. A curadoria atual tem assinatura do artista visual, cenógrafo, aderecista e figurinista, Maurício Martins, com consultoria religiosa de alguns membros do Terreiro do Gantois. Martins projetou um cenário que promove um diálogo entre elementos da ancestralidade e da contemporaneidade. Para recuperar as roupas (figurinos) e os adereços que vestem as esculturas de Alecy, contou com a coordenação da museóloga, Gerente de Bibliotecas e Promoção do Livro e Leitura (FGM) e filha do Gantois, Jane Palma, juntamente com as costureiras Joselita França, Alzedite Santos, Clara Guedes e Regina Celia Santos. GRATUITO.

A exposição Memórias Afetivas do Subúrbio Ferroviário de Salvador, com curadoria do Acervo da Laje, tem como objetivo fortalecer a relação afetiva com a arte produzida no subúrbio ferroviário de Salvador, através de registros, memórias e artefatos característicos da comunidade local. Até dia 29/03, estará aberta ao público no Espaço Cultural Boca de Brasa - Subúrbio 360 (Vista Alegre)¸de sexta a domingo, das 09h às 17h. Ainda no dia 25, o Espaço promove o Domingão Boca de Brasa, com apresentações de espetáculos de teatro, dança, música, envolvendo a comunidade do Subúrbio. GRATUITO.

Dia 24, às 08h, o Espaço Cultural Boca de Brasa – Juventude Ativista de Cajazeiras (Cajazeiras V), promove a Oficina de Poesia Aplicada à Composição Musical, com o professor Rilton Júnior abordando noções de estilos, poesias e composição. Nos Dia 26 e 28, às 14h, acontece aOficina de Experimentação Musical, com o professor Nairo Elo que promoverá vivência com noções de canto, sons, ritmos e instrumentos. Todas as oficinas são gratuitas. Informações e inscrições, no local.

Dia 25, às 13h, o Espaço Cultural Boca de Brasa – Avançar, promove o Festival de Dança, Música e Poesia, evento com arte, dança, música, poesia, artesanato e teatro no Bairro da Paz, onde os três primeiros colocados de cada categoria recebem prêmios. Momento onde a comunidade para para prestigiar os artistas locais. Nesse dia será intensificado o mapeamento dos artistas da comunidade. GRATUITO. Já no dia 26, às 18h30, o Espaço promove uma Oficina de Teatro, com o professor Luiz Bandeira que trabalhará noções de teatro, história da arte cênica. Dia 27, às 14h, Oficina de Hip Hop (breakdance), com o professor Passos, trazendo noções de dança de rua (história e contextualização), noções de espacialidade, cidadania, valores e dignidade humana. Às 18h30, acontece a Oficina de Dança Afro, ministrada pelo professor Robson Correia que abordará noções de dança, relação com o corpo pessoal e do outro. No dia 28, serão ministradas as oficinas de Introdução à Comunicação, às 14h, com o professor Gelton Cruz apresentando os tipos de comunicação, escrita de textos para jornais e periódicos, comunicação virtual, fotografia e vídeo; às 18h30, é a vez da Oficina de Teatro, com o professor Luiz Bandeira trazendo noções de teatro, história da arte cênica. Todas as oficinas são gratuitas. Inscrições e informações no local.

Biblioteca Edgard Santos segue em cartaz com a exposição A História de Pedra e Cal - Edificações de Salvador. Em comemoração ao mês de aniversário da Cidade, foram selecionados destaques históricos e imagens da Fundação da Cidade e de edificações entre os séculos XIX e XX. A exposição tem o foco na arquitetura mostrando através de fotos e textos algumas edificações importantes da Rua Chile até a Ribeira. Essa mostra visa despertar o interesse pela literatura histórica da cidade, onde, além de textos e fotos, estão expostos livros do acervo da própria Biblioteca relacionados à evolução física da cidade. Aberta ao público de segunda a sexta, das 09h às 17h.

Dia 26, às 16h, na Praça da Piedade acontece o Lançamento do projeto Sacola Literária, com performance dos alunos do Projeto Dom Quixote - Ufba, O Circo de Um Homem Só com contos cantados e apresentação especial do CORO de COR. A Sacola Literária integra o programa de arte-educação Caminhos da Leitura, desenvolvido pela FGM com ações de incentivo e promoção a leitura. A proposta é criar uma nova forma de incentivar a leitura, através de uma sacola que leva em seus bolsões os livros para diversos cantos da cidade como uma estante itinerante visitando creches, praças e parques. A dinâmica conta com um mediador que, ao chegar no local, abrirá a sacola com exemplares do tema da edição, e fará performances ressaltando as histórias sobre o assunto escolhido como tema. Nesta primeira edição, será abordada a temática sobre Salvador, através de livros de autores baianos como Cid Teixeira, Antônio Riserio, Luis Henrique Dias Tavares, Ildegard Vianna, entre outros. GRATUITO.