O samba vai dominar o palco da Boca do Rio, próximo sábado (28), a partir das 20h, no penúltimo dia da programação do Festival da Cidade, em comemoração ao aniversário de 466 anos de Salvador. O evento gratuito, promovido pela Prefeitura, conta com os shows dos grupos É o Tchan e Batifun. Regado a muito samba, as bandas prometem não deixar ninguém parado e promover uma grande celebração em homenagem à capital baiana. Na noite de ontem (24), durante inauguração da Praça Renato Mendonça, na Boca do Rio, o prefeito ACM Neto convidou os moradores da localidade para prestigiaram os shows.

O cantor Compadre Washington, um dos vocalistas do É o Tchan, garantiu que será um show com muita alegria. “Será especial, alegre e vamos colocar todo mundo para segurar o tchan”, disse. Ele ressaltou ainda a satisfação de participar da programação oficial de aniversário da cidade, já que a banda faz parte da cultura de Salvador, atravessando gerações levando o rebolado baiano para o mundo.  

“Para a gente é gratificante fazer parte dessa comemoração. Apesar do É o Tchan ser um grupo que atravessa gerações, é a primeira vez que vamos tocar no aniversário da cidade. Vamos fazer um belo show e parabenizar a nossa querida cidade”, pontuou o vocalista, lembrando que o grupo completa 20 anos de carreira. O repertório terá os novos e antigos sucessos, canções que marcaram a carreira, como “Segura o Tchan” e “Bambolê”, além de novidades como a canção “Colar de Beijos”.

Mesclas - O grupo Batifun, que tem na linha de frente Fernando Rufino, Júnior Luiz e Marcelo Timbó, promete mesclar os sucessos da carreira e homenagear grandes sambistas baiano. “Vamos fazer um show com nossas músicas autorais e releituras, misturar as canções. Além disso, vamos fazer homenagens aos compositores de samba da Bahia. Vai ser especial comemorar essa data importante do aniversário da cidade, uma grande oportunidade para o Batifun”, revelou o vocalista do grupo, Júnior Luiz.

O cantor lembrou que a banda tem uma relação especial com o bairro da Boca do Rio. “A gente começou a tocar com um grupo de amigos e não como uma banda profissional, e sempre escolhíamos a Boca do Rio para fazer o samba. Então o local já é familiar e vai ser ótimo reencontrá-lo”, destacou. Ele lembrou que o Batifun foi uma das atrações do Furdunço no pré-Carnaval deste ano, na Barra. "Foi uma oportunidade maravilhosa".