O Campo da Pronaica, em Cajazeiras X, será palco da primeira encenação a céu aberto da peça “7 Conto”. A comédia, do ator e humorista Luís Miranda, que será apresentada a partir das 20h desta sexta-feira (27),  Dia Mundial do Teatro, faz parte da programação do Festival da Cidade. No total, cerca de cem eventos e dois mil artistas estão levando para as ruas da cidade, desde o último fim de semana, teatro, cinema, shows musicais, grafite, dança, circo, feiras, além de uma grande programação esportiva até o dia do aniversário, no próximo domingo (29).

Sob a direção de Ingrid Guimarães, a peça retrata de maneira descontraída alguns perfis soteropolitanos. Entre as personagens da comédia estão uma líder comunitária que “ensina os filhos a terem educação”, uma menina negra que não tem ícones infantis, um apresentador de programa sensacionalista, uma velhinha que sofre com as indignações do mundo cotidiano e um rapper. O ator baiano Luís Miranda disse estar ansioso para fazer a apresentação em Cajazeiras que, na opinião dele, tem muito a ver com as histórias do espetáculo. “As pessoas vão se identificar com a vida que os personagens têm. Para mim este é o momento mais importante para o artista, quando o espetáculo vai até o povo”.

Ele afirmou que é um prazer, após sete anos de apresentações de sucesso em Salvador, encenar a peça em um momento importante para a cidade, como o aniversário, de forma gratuita, em um dos bairros mais populares. Miranda é nascido e criado no bairro do Pau da Lima, na periferia de Salvador, assim como Cajazeiras, local da apresentação.

Formado pela Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo (USP), o humorista, que já participou de longas como "Carandiru" e "Meu nome não é Johnny" e de programas de TV como o humorístico "Sob nova direção" e "A grande família", além da novela "Geração Brasil", aproveitou para parabenizar a cidade, que considera fonte de inspiração para qualquer artista.

“Salvador é um berço de tudo, não só de riqueza cultural e de povo. Eu tenho um carinho imenso pela sua riqueza histórica. Então, comemorar o aniversário da cidade, nestes 466 anos, com uma apresentação em Cajazeiras, oferecendo para as pessoas o meu espetáculo, é um presente como brasileiro, como baiano, que me engradece e me deixa muito feliz”, finalizou, convidando os soteropolitanos para cantar os parabéns à cidade após a apresentação.