O Festival da Cidade apresenta a Salvador o espetáculo Viva o Circo, projeto desenvolvido há quase 30 anos pelo Circo Picolino. Misturando poesia, música, literatura, performances circenses e muita criatividade, o espetáculo traz este ano como tema um dos maiores poetas brasileiros, o consagrado Gregório de Mattos. Cinquenta artistas que integram o projeto farão as releituras das poesias do Boca do Inferno, regadas a muita música e alegria. As apresentações serão realizadas no próprio Circo Picolino, em Pituaçu, às 19h30, sexta-feira (27), sábado (28) e domingo (29), com entrada gratuita.

Anselmo Serrat, fundador e diretor do Circo Picolino, disse que a ideia do projeto surgiu logo no primeiro ano da escola. “Tínhamos a necessidade de o artista se apresentar e demos o nome desse espetáculo de Viva o Circo. Foi o primeiro encontro circense com artistas da Bahia e outros estados”, revelou. A atração no Festival da Cidade, promovido pela Prefeitura e com patrocínio do Shopping da Bahia, terá um gostinho especial, já que este ano o projeto chega a sua 30ª apresentação.

“Este ano o Viva o Circo completa 30 anos com apresentações ininterruptas. É uma honra fazer parte da programação de aniversário da cidade. A escola já é um patrimônio de Salvador e comemorar essas duas datas será incrível”, disse Serrat. Ele ressaltou ainda que reviver Gregório de Mattos torna a apresentação ainda mais encantadora. “Trabalhar um personagem que viveu Salvador séculos atrás e fazer com que principalmente as crianças tenham contato com o que foi a cidade há 400 anos, através da poesia, é muito valioso”, destacou.

As técnicas da apresentação envolvem acrobacias, malabarismo, trapézio, corda indiana, equilibrismo, contorção, tudo isso aliado a poesia e música. Os números foram criados pelos instrutores da Escola Picolino e a direção musical ficou a cargo de João da Lima, que teve a missão de musicar as poesias de Gregório de Mattos e adequar ao espetáculo circense.

Nesses 30 anos, o Viva o Circo já abordou temas do poeta Jorge Amado, do cineasta Glauber Rocha, o músico Fred Dantas, entre outros. Segundo Anselmo Serrat, a apresentação é uma fábula que conta a história de um personagem que se envolve tanto com os textos de Gregório de Mattos, a ponto de pensar que é o próprio poeta, mas no final vai parar no Carnaval. O personagem é interpretado pelo ator João Paranhas.

O show circense dura em média uma hora e meia, e conta com 50 alunos da Escola Picolino na faixa etária de 7 a 16 anos. Foram dois meses de ensaio para a apresentação no aniversário da cidade. “Às 19h30 estamos esperando todo o público, todos estão convidados para vir comemorar essa data importante”, finalizou Serrat. O Viva o Circo foi contemplado duas vezes pelo edital Arte em Toda Parte, da Fundação Gregório de Mattos (FGM).